O instrumentista Chacal do Sax está celebrando seus dez anos de carreira com o lançamento de um novo single: “Vivo pra Você”. O trabalho já está disponível nas principais plataformas digitais. “Sempre amei essa música, tem uma mensagem de amor, de elo, uma espécie de dependência boa com o outro”, define Chacal, nascido e criado no Lins de Vasconcelos, mais precisamente na comunidade do Barro Vermelho, zona norte carioca.

O próximo EP de Chacal será produzido através do selo independente OneRpm e vai trazer participações especiais como Xande de Pilares e Fundo de Quintal, grupo do qual o saxofonista fez parte por quatro anos.

“Só posso dizer que tenho uma família: sou apadrinhado por eles e tenho muito orgulho. Eles são a potência do samba”, diz Chacal, que também já dividiu o palco com nomes como Mumuzinho, Imaginasamba, Balacobaco, Clareou e Nascente.

No material, o músico resolveu mostrar que também pode cantar e compor: “A ideia surgiu de uma conversa com o Xande de Pilares que, através de sua bagagem na música, viu que tinha um potencial para usar também a minha voz. Ele me incentivou”.

O álbum apresentará seis faixas com bastante samba, gênero musical que tornou Chacal, hoje aos 35 anos, conhecido no mundo artístico. “Posso dizer que foi um casamento bacana: escolhemos músicas com melodias lindas e letras repletas de mensagens”, conta.

Neguinho da Beija-Flor

Como a história de Chacal está atrelada ao universo dos bambas, o novo trabalho também terá a participação de Neguinho da Beija-Flor. “É alguém que sempre me apoiou, por isso, faço questão de dividir este projeto com ele”, explica o cantor, que deu o pontapé na carreira profissional quando Neguinho o convidou para uma excursão por 17 países em três meses de turnê pela Europa.

Não demorou muito e Chacal, já introduzido ao mundo do samba, se tornou prata da casa de escolas de samba como Mangueira, Salgueiro, Império Serrano, Portela, além do bloco Cacique de Ramos. “Foi assim que meu trabalho passou a ser conhecido em todo o Brasil”, afirma o músico.

Infância pobre

Chacal, ainda criança, conheceu o saxofone na Casa do Pequeno Jornaleiro, um colégio interno no Rio de Janeiro, e ficou encantado. Logo ganhou o instrumento da mãe, mesmo vivendo de um salário mínimo, e se dedicou ao sax. “Não parei mais. Se não fosse a música, não sei o que seria de mim, pois na minha comunidade havia muita violência. Mas desde que vi um sax na minha frente não pensei em outra coisa para a minha vida”, lembra.

O grupo de Chacal é formado por Miguel (teclado), Eduardo (teclado), Zazá (baixo), Bolinha (violão), Bruno rdn (cavaco) Vitor Sousa (cavaco), Victor cav (banjo), Vitor Souza (banjo), Orelha (percussão), Binho Percussão, Marcley (percussão), Léo (sax tenor e flauta), Gilsinho (trompete e flugue) e Johnson (trombone).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.