Qual fã das peças de teatro, filmes e séries, nunca se imaginou vivendo uma cena que viu em um espetáculo ou filme, certo?

No dia 11 de outubro, sexta, estreia Ella, Estrangeira de Si, na Zona Franca, possibilitará que os espectadores escolham qual será a cena seguinte a acontecer do espetáculo.


LEIA TAMBÉM: Dos palcos para as telas: “O Mágico di Ó”, musical brasileiro de Vitor Rocha, ganhará adaptação para filme

A peça traz uma voz feminina e traça um diálogo feminista. A figura central da montagem é a mulher, mas a temática é universal.

Afinal, quem nunca se sentiu estrangeiro, passageiro ou forasteiro dentro do próprio corpo? Dentro de alguma relação que viveu? Ou da cidade que nasceu ou mora?

É a partir destes questionamentos que Ella, estrangeira de si encontra identificação e temas infindáveis para refletir com o público.

Com texto e direção da carioca Luiza Prado, que também faz algumas participações como atriz, a peça mostra uma personagem que está em busca da sua identidade e do seu lugar no mundo, se descobrindo por meio a uma série de acontecimentos.

LEIA TAMBÉM: Musical Castelo Rá Tim Bum – Cheirinho de Infância

No elenco também estão as atrizes Beatrix Oliva, Mitzi Evelyn, Yasmin Gomes e Yana Sardenberg, além das musicistas Beatriz Abade e Danielle Vasconcelos.

O livro que originou a peça surgiu simultaneamente à mudança de Luiza para São Paulo.

Ella Estrangeira de si, em cartaz em São Paulo

Em busca do seu espaço, ela saiu do Rio de Janeiro e começou a colocar no papel, em forma de texto, seus anseios a respeito da troca de endereço, seus questionamentos após o fim de um relacionamento, sua descoberta como homossexual, e a forma com que ela, como mulher, se colocava no mundo.

Os textos, que se apresentam em diversos formatos (poesia, roteiro, prosa e até um boletim de ocorrência), tinham algo em comum: Luiza sempre escreveria na 3ª pessoa.

“Percebi que aqueles textos tinham esse ponto de encontro, e que aquela “ela” que mencionava sempre era uma personagem e tanto.

Foi assim que surgiu Ella, estrangeira de si, que além do livro e peça também foi transformada num perfil de Instagram (@ella.estrangeiradesi)”. 

No lançamento do livro, Luiza fez algumas leituras dramáticas do texto e percebeu uma embocadura para o teatro. “Acabei dirigindo algumas cenas e vi que poderia ter uma peça ali. Chamei as meninas que estão no elenco e começamos a levantar esse projeto”.

LEIA TAMBÉM: ELITE – Da Sensualidade ao Ódio

Estrutura não convencional

Na hora de fazer adaptações do texto para uma dramaturgia de teatro, Luiza optou por uma dramaturgia não-linear (não tradicional).

Por isso, buscou fugir de um palco italiano e ir para um espaço alternativo, com o formato de peça itinerante que acontece em diversos espaços dentro de uma casa, utilizando, inclusive, cenas simultâneas, e também colocando o público numa posição mais ativa do que aquela do formato convencional.

SERVIÇO:
ELLA, ESTRANGEIRA DE SI
Estreia dia 11 de outubro, sexta, 21 horas, na Zona Franca.
Temporada: De 11 de Outubro até 8 de novembro, sextas, às 21 horas.
Capacidade: 40 lugares. Ingressos: À partir de R$ 15,00 (meia-entrada).
Recomendação etária: 16 anos. Duração: 80 minutos.

*Texto Revisado por Larissa R. Diniz (@laridiniz0)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.