Em entrevista exclusiva, Suellen Ogando, autora do livro: O que é o teatro musical. Conversou com o Cansei De Ser Pop e nos contou sobre processos de pesquisa, lançamentos e mais.

Conversamos com uma mulher multifunções. Ela é atriz, cantora, compositora, jornalista  e autora do livro: “O que é o teatro musical”; livro que coleciona uma longa pesquisa de campo pela Europa em países como: Inglaterra, Alemanha, França, Espanha, Itália e Áustria.

Suellen Ogando, começou em Belo Horizonte e já participou aproximadamente de  30 espetáculos, vários comerciais, vídeos institucionais, além de curta metragem e dublagem. O currículo dela não é pequeno, não! Tenho certeza que vocês estão loucos para conhecer um pouco mais dessa história.

CSP: Como surgiu a ideia do projeto?

Suellen: O livro surgiu a partir da necessidade em pesquisa de alguma obra em português. A maioria sobre Teatro Musical está em inglês e espanhol,  depois em francês, alemão, italiano, etc.  Então após pesquisa de campo na europa cheguei no título: O que é o Teatro Musical com um viés jornalístico e histórico.

CSP: Como foi o processo de pesquisa?

Suellen: Foram anos de pesquisa, entender o mercado de musicais no Brasil e exterior. Entender quais obra já tinham sido publicadas lá fora para não ser apenas uma repetição em português. Ter o recorte dos principais musicais do Brasil, Broadway e West End é inédito.

CSP: Qual a parte mais difícil para publicar um livro sobre um tema tão específico no Brasil?

Suellen: A principal dificuldade é convencer a editora que sua obra pode ser uma boa para ambos os lados.

Ao avaliarem a proposta de ser uma obra inédita com poucas que abordam o assunto e em português, deu certo, foi publicado. Agora o que complica são as vendas, pois muitos preferem gastar dinheiro com baladas no fim de semana do que com leitura. Não só quanto ao livro, mas de forma geral, tanto que várias livrarias estão quebrando no país, infelizmente. Ainda somos o país do Futebol e Carnaval, a leitura ainda é secundária.

CSP: Você acredita que existe uma falta de pesquisas na arte, principalmente no teatro musical?

Suellen: Teatro Musical é algo que em 1999 teve sua retomada no país com Rent e em 2001 com Les Miserables e desde então muitos têm estudado o gênero. Alguns pioneiros foram para USA estudarem : New York Film Academy, AMDA, Tisch- University NY, dentre outros. Já outras pessoas na prática  das montagens realizadas no país foram a escola de musical. Uma turma grande de Brasília junto ao maestro Marconi Araujo,  como Saulo Vasconcelos, Sara Sarres, Amelia Gumes, etc, vieram para São Paulo e se tornaram grandes nomes.

Contudo, pesquisa acadêmica no país sobre Teatro Musical ainda é deficiente, muitas linhas de pesquisas não agradam em Ópera e Teatro Musical, muitas linhas de pesquisa são mais conservadoras. A partir de 2010 algumas universidades aceitaram mais TCC nesta linha de pesquisa, mas Doutorado ainda  está mais fechado.

CSP: Esse é o momento do teatro musical no Brasil ou você acredita que já estivemos melhor?

Suellen: Em 1962 tivemos My Fair Lady com Bibi Ferreira que foi um sucesso, ainda com algumas dificuldades nas boas versões musicais em português, mas mesmo assim foi um ponta pé inicial.

Na década de 60 ainda produziram O Homem de La Mancha, em 1969- Hair, em 1972 -Jesus Cristo Superstar, em 1974- Godspell. Depois entrou em crise este gênero e teve sua retomada em 1999/2001  e desde então o Teatro Musical tem ganhado o país com várias produções de franquia e temáticas brasileiras.

VEJA TAMBÉM: Entrevista com Saulo Vasconcelos

Algumas montagens só ficavam no eixo RJ/ SP, de uns anos para cá desde Tim Maia- O Musical , por exemplo, fizeram turnês pelo país, eu ainda morava em Belo Horizonte e assisti. Ou seja ao sair deste eixo, tendo turnês em várias cidades como: Curitiba, Fortaleza, Brasília, etc, já mostra o quanto o brasileiro foi ganhando gosto pelo gênero e ampliando o mesmo pelo país.

Várias escolas de Teatro Musical surgiram também pelo país em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Fortaleza, etc, o que ajuda o artista em não necessariamente ter que ir para o exterior estudar. Bons professores que já foram trouxeram o know how que pode ser trabalhado no Brasil.

CSP: Três musicais que todo mundo precisa assistir?

Suellen: Cantando Na Chuva – Singing In The Rain de 1952 com Gene Kelly é um clássico do cinema musical, estreou em 1983 na Broadway em NY com montagens em todo o mundo: Austrália, Tokyo, Paris, Moscow, etc, e ano passado Cláudia Raia e Jarbas Homem de Mello trouxeram para o Brasil esta bela montagem.

Contudo, outro musical é o filme Mary Poppins da Disney de 1964 o primeiro filme da história que uniu elementos de desenho com os famosos pinguins dançarinos ao filme em que Julie Andrews  como Mary estava em uma grande atuação, teve ano passado o Mary Poppins Returns com Emilie Blunt como Mary Poppins no cinema, e no teatro como franquia de West End/Broadway, Cameron Mackintosh tem os direitos junto a Disney e em 2004 estreou  o musical em Bristol e Londres, e depois ganharam o mundo com montagens na Austrália, Canadá, Alemanha, Dinamarca, República Checa, etc, no Brasil em 2015 tivemos auditions, inclusive participei indo até as últimas fases, mas infelizmente cancelaram a montagem por aqui.

E por último um mais  contemporâneo é Wicked de 2003, que estreou na Broadway em NY, com composições de Stephen Schwartz.  A continuação da história do Mágico de Oz de 1939, com a perspectiva na história das bruxas: Glinda e Elphaba. Defying Gravity é uma das canções deste musical mais cantada em audições e reality shows pelo mundo, no Brasil estreou em 2016 e já foi montado na Austrália, México, Japão, Holanda, etc.

Por: Diorman Werneck
Imagens: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.