Nesta semana, Mc Gui esteve envolvido em uma grande polêmica por ter praticado bullying contra uma menina durante sua viagem à Disney. Na ocasião, o cantor filmava e tirava sarro da criança vestida como a Boo, da franquia de animação “Monstros S.A”, enquanto ela percebia a gravação e se mostrava visivelmente constrangida.

O jovem de 21 anos colocou o vídeo nos stories do Instagram e foi quando uma enxurrada de críticas (bastante justas) iniciou o processo de viralização do vídeo. Pressionado, Mc Gui pediu desculpas publicamente, embora quase ninguém acredite em suas palavras.


Mais importante do que lembrar a “mancada” do artista, é reforçar a importância de combatermos todo e qualquer tipo de bullying, que em nossa sociedade pode resultar em consequências fatais para tantas meninas e meninos.

Se tem maiores de idade que não sabem distinguir o certo do errado, tem uma galerinha no YouTube que anda dando show de conscientização. Para quem ainda não conhece, o Super Like, comandado pela diretora Roby Amaral, tem a missão de trabalhar pautas mais educativas, mas sem deixar de ser divertido e atraente para as crianças que seguem o canal.

O objetivo é escapar do mais do mesmo, já que é muito comum encontrarmos hoje em dia canais infantis no YouTube sem conteúdo, que mostrem os pequenos fazendo brincadeiras, reacting de gameplays, unboxing de recebidos ou review de presentes.

“A ideia é levar conteúdo que agregue ao livre pensamento do público do Super Like, contribuindo para a formação de jovens e adultos mais empáticos com quem é diferente ou faz escolhas que fogem aos padrões impostos pela sociedade”, define Roby, que anteriormente dirigia os Irmãos Neto e também é responsável pelo canal do Cid Moreira.

Temas relevantes

Já foram ao ar dois vídeos que refletem essa proposta. O primeiro, intitulado justamente “Bullying”, mostrou parte do elenco (no total são 12 crianças) discutindo sobre preconceito e ofensas. Sophia Albuquerque, de 11 anos, portadora da deficiência mielomeningocele, uma má-formação na coluna vertebral que lhe obriga a usar órteses nas pernas, falou sobre episódios desconfortáveis de bullying pelos quais já precisou passar.

Participações especiais

Em outro vídeo, chamado “Diferenças”, Bella Savagé, que sofre de paralisia cerebral e tem 18 anos, explicou que sua deficiência não é intelectual, apenas motora, e revelou um caso de discriminação em uma escola do Rio de Janeiro. Já Brunna Sachs, 10, afirmou que o veganismo, o qual ela segue desde bem nova, afetou sua relação com os amiguinhos na escola.

Os vídeos entram no canal dentro do quadro Super Papo, que tem o intuito de trazer ao público a percepção que as crianças têm em relação às diferenças cotidianas.

Elenco do Super Like com Bella Savagé e a diretora Roby Amaral

Vem mais por aí

O novo canal ainda busca trazer discussões morais para quem o assiste. No Vai Dar Treta, web série que Roby deve estrear no Super Like em breve, o elenco aparece em esquetes ficcionais que abordam situações que vão testar a ética das crianças.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.