A relação de Aurora com o Brasil parece cada vez mais estreita. Tendo passado pelo país em diferentes ocasiões entre 2017 e 2018, a cantora e compositora norueguesa de apenas 22 anos voltou ao país nesta semana para uma série de cinco shows.

Depois de desembacar em Belo Horizonte (16/5), a cantora seguiu para o Rio de Janeiro, onde se apresentou ontem (17) no Circo Voador, na Lapa. A abertura ficou por conta de Silja Sol, backing vocal da banda de Aurora. Sozinha no palco e um pouco acanhada, a moça tocou algumas canções suas, somente acompanhada pelo violão.

Apesar da plateia desconhecer a repertório de Silja, a recepção a cada música era excelente e ela foi, aos poucos, perdendo a timidez e se soltando na frente do público. Visivelmente impressionada com o barulho vindo dos fãs, a backing vocal se despediu pouco após o relógio marcar 22h, abrindo caminho para Aurora.

Marcado para começar 22h30, o show, com a casa lotada, foi iniciado com mínimo atraso, quando Aurora entrou para cantar “Churchyard”, presente no disco “Infections of a Different Kind (Step 1)”, lançado em setembro do ano passado.

Com um cenário interessante, formado por diversas águas-vivas que causavam bonito efeito visual a cada luz refletida, a cantora continuou contagiando seus fãs com “Warrior”, do álbum de estreia, “All my Demons Greeting Me as a Friend” (2016).

“All is Soft Inside” e “Home” deram sequência ao setlist, enquanto a plateia reagia com muito gritos e aplausos. Acessível como poucos, Aurora parou o show em determinado momento para recolher todos os presentes enviados pelos fãs, agradecendo um por um. Ela pediu até a ajuda do segurança abaixo do palco para não deixar de receber nenhum mimo.

Outro momento de interação com o público que merece destaque foi quando a plateia puxou o coro de “Ei, Bolsonaro, vai tomar no c*”. Depois de deixar os fãs se manifestarem, Aurora soltou: “Eu também não gosto dele (Bolsonaro)”, fazendo o Circo explodir em palmas.

A artista lembrou que não devemos deixar nos abater por aqueles que não fazem o bem e que a luz dentro de nós precisa ser mais forte, para combater a maldade.

Voltando para a apresentação, Aurora mesclou hits mais antigos, como “Runaway”, “Murder Song (5, 4, 3, 2, 1)”, “I Went Too Far” e “Animal”, com canções mais recentes, como “Soft Universe”, “It Happened Quiet” e “Forgotten Love”, além de “The Seed” e “The River”, singles que estarão no disco “A Different Kind of Human: Step II”, com lançamento previsto para junho.

Na reta final da apresentação, Aurora cantou “Runnig with the Wolves”, destacando que era noite de lua cheia na cidade. Com os fãs extasiados, ela agradeceu o carinho do público e foi, junto com a banda, para o backstage.

Alguns segundos depois, Aurora retornou ao palco para o bis. A cantora escolheu a introspectiva “Infections of a Different Kind” e a dançante “Queendom”, que era pedida quase em desespero pelos fãs. Diante disso, nem é preciso dizer que o Circo virou uma grande pista de dança.

Fechando o show com aproximadamente 1h30 de duração, Aurora, toda fofa e atenciosa, uma fada como costuma ser chamada pelos fãs (e parece mesmo!), se despediu com a promessa de voltar em breve. Alguém duvida?

Setlist:

  1. “Churchyard”
  2. “Warrior”
  3. “All Is Soft Inside”
  4. “Home”
  5. “Soft Universe”
  6. “Murder Song (5, 4, 3, 2, 1)”
  7. “Runaway”
  8. “In Bottles”
  9. “The Seed”
  10. “It Happened Quiet”
  11. “Animal”
  12. “I Went Too Far”
  13. “The River”
  14. “Forgotten Love”
  15. “Running with the Wolves”

Bis:

16. “Infections of a Different Kind”

17. “Queendom”

fotos por Manoel Félix

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.