Diferente do que muitos pensam, a sexualidade está além da
questão de sexo e gênero. Assim, a sexualidade envolve e influencia também outros aspectos da vida, tais como:

  • a formação da nossa identidade,
  • orientação sexual,
  • desejos,
  • papéis desempenhados em uma dada sociedade,
  • prazer,
  • dor
  • crenças,
  • atitudes,
  • sentimentos,
  • pensamentos,
  • autoestima e
  • interação com o meio.

Enfim, está ligada ao nosso íntimo, a maneira como tocamos e como nos permitimos ser tocados, amar e ser amados, nas mais variadas expressões conscientes e inconscientes do nosso ser.

É preciso entender, que através da informação, leveza e respeito ao assunto, muitos abusos sexuais, violências domésticas, relações abusivas,
gravidez na adolescência e outros, diminuirão.

Bem como, autoestima elevadas e mais autoresponsabilidade serão consequência de uma educação sexual.

É preciso quebrar o tabu de que esse assunto é coisa de pervertido e de
que é para ensinar crianças a fazer sexo. Muito pelo contrário, pois criança não namora!

“A sexualidade é influenciada por fatores biológicos, psicológicos e
sociais. “

Sei que muitos pais o falam sem maldade, mas vale uma reflexão sobre a frase “é sua namoradinha?” e o ato de “beijar na boca dos filhos”, é sim, sexualizar a criança antes do tempo.

É sem maldade da parte dos pais, claro! Mas, como dito anteriormente, vale a reflexão, pois muitas vezes nem tínhamos parado para pensar.

Por: Tatiana Torquato Lima
Psicóloga – CRP: 06/151299
Especialista em Terapia Cognitivo-Comportamental e
Consultora em Saúde e Educação Sexual.

Leia o texto na integra e saiba mais sobre esse e outros diversos assuntos ligados a psicologia no site TATI FALANDO SOBRE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.