Inspirado no ataque homofóbico que aconteceu no Bar Pulse, em Orlando (EUA), em 2016, o espetáculo mostra o encontro de Ramon, sobrevivente do ataque praticado por homofóbicos em um bar gay, com Amélia, uma severa professora de canto, que também tem sua história ligada a esse trágico evento.

“O que nos torna humanos? Para Amélia (personagem de Tânia Bondezan) a resposta encontra-se na capacidade de sentir a dor dos outros como se fosse nossa”.

E este é o sentimento que corre ao longo da espinha dorsal de A Golondrina, sucesso de crítica e público que volta em cartaz no Auditório do MASP, para temporada até dia 8 de setembro. 


Com texto do premiado autor barcelonês Guillem Clua e direção de Gabriel Fontes Paiva, a peça traz no elenco Tania Bondezan (que também assina a tradução) e Luciano Andrey.

O espetáculo já foi montado em Londres e na Espanha (estrelado pela consagrada atriz Carmen Maura).

O texto é inspirado no ataque terrorista do Bar Pulse, que aconteceu em Orlando (EUA), em junho de 2016, mas nele também ecoam as tragédias do bar Bataclan, em Paris (França), do calçadão em Nice, Las Ramblas de Barcelona.

É uma tentativa de compreender a insensatez do horror, as consequências do ódio e as estratégias que usamos para que eles não nos destruam a alma. 

SERVIÇO

A Golondrina, de Guillem Clua, com direção de Gabriel Fontes Paiva
Auditório MASP
Temporada: de 12 de julho a 8 de setembro.
Às sextas e sábados, às 21h; e aos domingos, às 19h
Ingressos: A partir de R$30 (meia-entrada)
Classificação: 12 anos

Fotos: João Caldas F.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.